O impacto da semente de qualidade na produtividade

O sucesso de uma lavoura de soja depende de diversos fatores combinados, mas, sem dúvida, as sementes e suas características têm um papel fundamental no resultado final. As sementes carregam o potencial genético de produtividade, além de atributos agronômicos importantes como tolerância a nematoides e determinadas doenças, ciclo (grupo de maturação), hábito de crescimento, entre outros. Tais fatores, somados ao contato com o ambiente, fazem com que a variedade de soja expresse o seu potencial e entregue os melhores resultados ao agricultor.

Escolher a melhor variedade para determinada situação ou ambiente, de forma isolada, não é suficiente.

É preciso garantir que as sementes tenham características de qualidade que garantam o correto estabelecimento da lavoura.

 

Sementes com altos índices de germinação e vigor, por exemplo, auxiliam na correta formação da lavoura, promovendo a emergência mais rápida e uniforme, além de plantas mais fortes e vigorosas.

As características físicas também são muito relevantes e precisam ser consideradas como fatores de qualidade. Danos mecânicos, visíveis ou não, podem impactar na capacidade das plantas de se estabelecerem, ou até mesmo impedir a germinação.

As sementes também podem ser consideradas veículos de disseminação de patógenos e plantas daninhas.

 

Por isso, é muito importante considerar as características fitossanitárias e de pureza de cada lote, garantindo a ausência de agentes patogênicos e de espécies de plantas nocivas ao meio produtivo.

A construção da qualidade, porém, não é algo simples. Ela exige que os produtores de sementes de soja licenciados tenham processos bem definidos e uma equipe de controle de qualidade especializada para garantir a satisfação dos usuários. As características das sementes que o agricultor compra são definidas desde o momento em que o campo de produção é estabelecido, percorrendo um longo caminho até a entrega do produto final.

Diversos testes de qualidade são feitos em: pré-colheita, colheita, beneficiamento, armazenagem e pré-carregamento, com o objetivo de garantir que o agricultor leve para a sua propriedade sementes com altos índices de germinação, vigor, pureza genética e física, além de deixa-lo livre de problemas físicos e fitossanitários. Estas características, somadas à interação com o ambiente, possibilitam ao agricultor estabelecer a sua lavoura de forma adequada e dar o primeiro passo para alcançar os melhores resultados.

É importante ressaltar, ainda, que o uso de sementes sem garantia de procedência (sementes piratas) impacta as lavouras de soja de maneira negativa, reduzindo o potencial de produtividade e, consequentemente, a rentabilidade do agricultor.

 

As sementes piratas não garantem segurança ao agricultor como as certificadas, elas podem levar para a sua propriedade novas doenças, plantas daninhas de difícil controle, além de grãos de soja desuniformes e com baixos índices de germinação e vigor, impactando o stand final de plantas que é necessário para o bom desempenho da variedade de soja escolhida.

Para evitar problemas desta natureza, o agricultor deve selecionar um produtor de sementes de sua confiança e adquirir produtos certificados, evitando problemas desnecessários para o seu negócio.

 

Diversas pesquisas científicas comprovam que plantas vigorosas, uniformes, sadias e sem competição com outras têm relação direta com maior peso de grãos e produtividade por planta. O resultado final é definido, muitas vezes, por pequenos detalhes. Algumas decisões técnicas tomadas no início da safra podem impactar positiva ou negativamente no desempenho de determinada variedade. Neste contexto, a missão dos agricultores e consultores técnicos é identificar esses gargalos e atuar de forma cuidadosa para reduzir os riscos. Não é uma missão fácil, mas a agricultura brasileira já provou diversas vezes sua capacidade de superar as barreiras inerentes ao nosso negócio.

 

 


 

Autor: Rodrigo Nuernberg, gerente de Negócios da Monsoy no Brasil.
Fonte: Grupo Cultivar